O que a psicologia tem a dizer sobre as compras impulsionadas pelo medo do coronavírus?

O que a psicologia tem a dizer sobre as compras impulsionadas pelo medo do coronavírus?

Todos fomos impactados pela pandemia da Covid19!

A palavra pandemia é muito assustadora. As imagens mostradas pelas mídias, estampando pessoas usando máscaras, isoladas em casa, olhando pelas janelas; ruas vazias, prateleiras idem, quadros com número de infectados e de mortos, covas abertas… têm deixado todos nós aterrorizados!

Compreensivelmente, estamos preocupados tanto com a nossa saúde e bem-estar, quanto com a de dos nossos entes queridos. A incerteza é a palavra da vez e muitas pessoas têm muita dificuldade em lidar com a incerteza.

Estamos vivendo uma situação nunca vivida antes, é normal que todos nós sintamos um certo medo, afinal ninguém sabe quais serão os rumos dessa situação e o desconhecido nos angustia!

O medo pode ser contagioso e isso pode explicar as “compras de pânico” que estamos vendo em todo o mundo.

Pela TV, temos visto pessoas nos supermercados em franca disputa.  Semanas atrás, um vídeo com duas mulheres disputando rolos de papel higiênico viralizou.

As imagens de prateleiras vazias mostradas nos noticiários passam a seguinte mensagem: “Se você não comprar, vai acabar.”  E isto dispara em nós o “gatilho da escassez”. Podemos pensar: “Se os outros estão comprando… vão faltar produtos, preciso comprar.”

Então, você decide ir ao supermercado. Chegando lá, todos estão correndo, agarrando tudo o que podem, enchendo carrinhos feito doidos. Em desespero, você começa a pensar: “Uau… isso é realmente perigoso! É melhor eu começar a estocar.”

Nosso lado racional pode nos dizer: “Não, não preciso comprar outro rolo de papel higiênico.” Mas também podemos ter uma reação mais primitiva que insiste: “Bem, é melhor prevenir do que remediar…” Neste momento, o ato de comprar adquire um caráter de urgência, as compras passam a ter o intuito de aliviar um terrível mal-estar interno.

Além disso, quando não sabemos o que fazer, parece que somos impulsionados a querer comprar coisas. Além de prazeroso, comprar coisas pode dar a falsa impressão de segurança, de que estamos no controle da situação.

O ser humano, em momentos de incerteza, tende a ser irracional. Nesses momentos, as pessoas suspendem o seu próprio julgamento e começam a fazer o que todo mundo está fazendo.  Alguns psicólogos e economistas costumam chamar essa atitude de “comportamento de manada” – quando muitas pessoas agem da mesma forma ao mesmo tempo. Se eu não sei como agir, então observo como todas as outras pessoas estão agindo e acabo agindo como elas. Então, se todo mundo está comprando suprimentos em pânico, começamos a fazer o mesmo.

Você pode estar curioso se perguntando: “Mas, por que aumentou a compra de papel higiênico?

Se você observar, além de papel higiênico, as pessoas passaram a estocar álcool em gel, máscaras, luvas e produtos de limpeza.

Quando as pessoas ficam suscetíveis a infecções, aumenta a sensibilidade delas para o que causa nojo. O nojo é uma das emoções básicas e esse mecanismo fica mais ativado no cérebro, como uma forma de nos proteger daquilo que é patogênico. Observe que os cuidados com a higiene aumentaram na maioria das pessoas.  Então, como uma forma de “prevenção” as pessoas passaram a estocar irracionalmente produtos para a higiene e proteção pessoais.

E como podemos evitar as compras irracionais?

A maneira de evitar esse tipo de comportamento é preparar-se para ir ao supermercado.

Agora que você entendeu um pouco mais da situação, pense: O que eu preciso comprar realmente? A seguir, faça uma lista das suas reais necessidades. A lista te ajudará muito quando se defrontar com pessoas em pânico com carrinhos superlotados no supermercado.

Não há necessidade de estocar grandes quantidades de produtos, não está faltando nada nos supermercados. Sugiro que você verifique na sua despensa o que precisará para o próximo mês e, se tiver condições, compre o necessário para não precisar ir ao supermercado a todo momento. O necessário, mas sem exageros, pois não deve haver desperdício nesse momento. Nem egoísmo, pois, levando muito, pode faltar o item para outros, que também precisam.

É muito importante que tenhamos um comportamento responsável, pensarmos nas outras pessoas! Se todo mundo começar a fazer grandes estoques, vão faltar produtos e os preços irão subir.

1 Comments

  1. marlene silveira

    Muito boa explanação do assunto do momento.
    Me fez lembrar de minha mãe,não sei se o ano foi 1977 ou 1980,soube que iria faltar sal.
    Minha mãe,chegou na minha casa com deis quilos de sal.
    Bom dia

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>